Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Metal Global

Um programa de metal, com noticias e agenda de concertos.

Voivod - concerto em Outubro

Voivod

 

- Os canadianos Voivod têm concerto agendado para Portugal no dia 24 de Outubro, no Cine-Teatro de Corroios. Os bilhetes já se encontram à venda e custam 20 euros.

 

Press release:

 

Os VOIVOD são vistos e aplaudidos de forma consensual como um dos mais inovadores e visionários nomes saídos do espectro da música extrema – e não é difícil perceber porquê. Ao longo de quase quarenta anos, a banda aperfeiçoou uma alquimia de peso que, através da fusão inteligente de thrash, punk, hardcore, rock, prog e psicadelismo, deu origem a alguma da música mais intrigante, provocatória e, em alguns momentos, surpreendentemente acessível produzida desde os anos 80. Ao longo de treze álbuns, o quarteto oriundo do Quebec levou a sua história musical de inspiração sci-fi ao infinito e reemergiu, reinventando o conceito e revitalizando-se a si próprio uma, outra e outra vez. Apesar das mutações, mantiveram-se inabaláveis como uma proposta digna de respeito nos círculos em que a qualidade da música e das ideias ainda vale mais que a força das modas e das tendências. Na sequência da explosiva estreia em solo nacional, o lendário grupo canadiano está de regresso a Portugal no próximo dia 24 de Outubro, para protagonizar um concerto único – e que promete ser uma vez mais memorável – no Cine-Teatro de Corroios.

Respeitados, influentes. Às vezes difíceis, outras, incrivelmente orelhudos. Umas vezes divinais, mas sempre a quilómetros de distância da competição, os VOIVOD são uma das bandas mais originais que alguma vez caminharam os trilhos do metal. E quais eram as probabilidades no início? Para muita gente, perto do zero. Quatro miúdos, influenciados por arte, drogas e a força bruta de bandas como Venom e Motörhead. Pós heavy metal, pré MTV. Os anos 80 estavam a começar e a ameaça de uma guerra nuclear parecia inevitável. Porque não viver o fim do mundo a beber uns copos e a escrever temas de metal punk? "Away" criou um universo, uma personagem; um anti-herói a que chamou The Voivod – imortal e imparável. Daí à criação da música para servir de banda-sonora a este vampiro da era pós-nuclear foi um passo, com "Piggy" a fornecer a música. Muito jovem, mas também incrivelmente talentoso, o guitarrista revelou uma criatividade a que ninguém se manteve indiferente, com a sua abordagem muito peculiar às seis cordas – misto do tecnicismo de Robert Fripp com o peso pesado dos riffs de Tony Iommi – a definir a personalidade do grupo. Discos como «Dimension Hatröss», «Nothingface», «Angel Rat» ou «The Outer Limits» influenciaram o thrash mais arrojado em termos técnicos, o tech death, o black metal avantgarde e, bem vistas as coisas, qualquer banda que use dissonâncias de forma proeminente.

Os VOIVOD já gravam e fazem digressões desde 1983. Desde que regressaram aos palcos após a morte de "Piggy", em 2008, embarcaram num rigoroso esquema de tours, assinando atuações perante plateias rendidas um pouco por todo o mundo. Quase a entrar na quarta década de existência e no rescaldo de uma muito aplaudida participação na mais recente edição do festival Roadburn, onde escolheram as bandas para o cartaz de um dos dias e interpretaram na íntegra o clássico «Dimension Hatröss», preparam-se agora para dar mais um passo crucial no seu percurso. Na calha está «Target Earth», primeiro fruto da colaboração entre "Away", "Snake", "Blacky" e o substituto do malogrado "Piggy", o exímio "Chewy". No entanto, aquilo que torna este álbum especial é o facto de reunir os três sobreviventes da formação original no processo de composição, pela primeira vez desde «Angel Rat». Já descrito pelos músicos como um cruzamento entre a sonoridade mais progressiva do álbum de 1991 e a força de «Dimension Hatröss», este regresso aos discos reveste-se de uma expectativa imensa e o resultado final promete não desiludir. A caminho está também um documentário, que vai retratar de forma detalhada a história da banda, um exemplo de perseverança face a todos os obstáculos e contrariedades. Sempre em movimento e pouco interessados em viver apenas à custa das glórias do passado, os VOIVOD continuam a ser uma apaixonante anomalia, com o nome já inscrito no panteão do metal pós-moderno.